Luiz de Mattos em sua época foi um espírito incansável, foi um bravo e duplamente abolicionista. Lutou pela liberdade do homem escravo do próprio homem. Mas também lutou pela liberdade do homem escravo dos dogmas escravagistas e grosseiros, liberando o pensamento do homem travado nas amarras do misticismo religioso, levando-o ao auto conhecimento de si próprio como Força e Matéria.

Seu sucesso só depende de você - Por Luiz de Mattos

Caminha o Racionalismo Cristão há longos anos levando sua doutrina esclarecedora por toda parte. Quando bem assimilada, torna-se um farol a projetar luz nas trevas do desconhecimento espiritual. Já é tempo de a humanidade se esclarecer. A perturbação existente no mundo, porém, é muito grande, criando uma espécie de cegueira que impede a visão espiritualista da vida.

O pensamento tem valor considerável, quando bem irradiado. Ele é força saturada de poder, tanto para o bem quanto para o mal. A pessoa verdadeiramente esclarecida não se deixa abater pelos vendavais que surgem na vida. As tormentas morais que desabam sobre a existência humana são provocadas por pensamentos adversos, que se propagam através de ondas e formas, e, de acordo com as afinidades vibratórias, atraem miasmas de espíritos do astral inferior, que pululam pela atmosfera fluídica da Terra.

É necessário esclarecer a humanidade, para que saiba libertar-se de tudo quanto a pode prejudicar.

A doutrina racionalista cristã é fácil de entender. O êxito ou o fracasso dos seres humanos está subordinado ao bom ou mau uso do livre-arbítrio. Quem pensa bem o bem atrai. O contrário acontece aos que pensam mal: não imaginam o que os espera em futuras encarnações, a que extremos aflitivos poderão chegar em razão da intensidade das más ações que vierem praticar.

O Racionalismo Cristão é simples e grandioso, tem valor considerável na trajetória evolutiva dos seres, mas é preciso muita paciência e prudência, porque nem todos têm a compreensão nítida do que é espiritualidade. Por isso, aconselhamos que leiam devagar os livros doutrinários publicados, raciocinando bem sobre o que estudam, voltando atrás quando necessário. Esse estudo desanuvia a mente e leva à certeza de que a vida no planeta é árdua, trabalhosa, é dolorosa mesmo.

Desobsessão - Por Luiz de Mattos

A desobsessão é conseguida, com melhores resultados, nas correntes fluídicas organizadas pelo Astral Superior, nas casas racionalistas cristãs. Nas reuniões públicas que se realizam na Casa-Chefe e nas demais Casas, os obsedados ficam em cadeiras adequadas, sentados à mesa do estrado, um de cada lado do fecho, assistidos por dois esteios, exclusivamente. Estes, atentos, os observam, irradiam, aplicando-lhes a disciplina do sacudimento. De quando em vez, dão-lhes de beber água fluidificada.

O sacudimento tem por fim facilitar o arrebatamento do espírito obsessor do corpo do obsedado, realizado pelos espíritos do Astral Superior ali presentes. O obsedado pode fazer movimentos bruscos na cadeira, revelando a ação do obsessor, que se obstina em não deixar a vítima.

Sendo necessário, o obsedado deve ser contido pelos esteios que o assistem e pelo encarregado de salão, segurando com vigor seu corpo e braços à cadeira e suas mãos sobre a mesa, para evitar que se machuque com as contorções violentas que algumas vezes faz.

O encarregado de salão deve explicar ao responsável que acompanha o obsedado a possível necessidade de pôr em prática o procedimento acima e solicitar sua prévia autorização para aplicá-lo, se assim for inevitável fazer durante a reunião pública.

Obsessão - Por Luiz de Mattos

Limpeza Psíquica
A obsessão resulta do mau uso do livre-arbítrio, da vontade mal-educada, das inclinações sensualistas, do descontrole nos atos cotidianos, do nervosismo desenfreado, dos desejos insuperáveis, da ambição desmedida, do temperamento voluntarioso e, consequentemente, do desconhecimento ou da inobservância dos ensinamentos racionalistas cristãos.

A faculdade do livre-arbítrio, que os seres humanos possuem, representa a prerrogativa de se conduzirem por si mesmos com liberdade e independência.

Ao fazer mau uso do livre-arbítrio, os indivíduos contrariam as leis naturais e imutáveis, que estabelecem normas de vida seguras e apropriadas, e precisam ser respeitadas, a qualquer custo.

É fora de dúvida que, com o raciocínio bem exercitado para a solução dos problemas que se apresentem na vida, tendo sempre em vista o aspecto honrado de todas as questões, os seres humanos podem manter-se na linha da boa conduta, beneficiando-se a si próprios e ao meio em que vivem. Os que se afastam desse caminho o fazem porque querem, porque se deixam enfraquecer, e, onde entra o enfraquecimento moral, entra a atuação dos espíritos do astral inferior, que produzem, em pouco tempo, a obsessão.

A vontade mal-educada é o resultado da indolência, do pouco caso e da negligência para com as coisas sérias da vida. O indolente deixa de fazer o que deve, esperando que outros o façam por ele; não gosta de horário nem de disciplina; é inimigo do trabalho e da ordem e nada faz pelo progresso, estando, por isso, situado no plano dos parasitas e dos adormecidos. Enquanto o mundo exige atividade e ação, o indolente vê, com indiferença, o que se passa, sem vontade de participar do movimento que reclama a presença de todos.

Senhores pais, como evitar o desassossego – Por Luiz de Mattos


Um pai trata de 10 filhos, 10 filhos não tratam de um pai” Anônimo

Combatemos tudo que está errado e apoiamos o que é correto, auxiliando o progresso espiritual da humanidade. Procuramos ajudar os seres humanos moralmente combalidos a se reerguerem, esclarecendo-os no sentido de enfrentarem as vicissitudes da vida para bem viverem neste mundo de aprendizado.

Sabemos perfeitamente quanto está desnorteado o gênero humano, em que estado de degradação moral se encontram muitas famílias e a influência que isso representa na formação das crianças e dos jovens.

Não é de hoje que recomendamos aos pais muito cuidado no trato com seus filhos. Não é aos gritos e com maus tratos, não é com palavras severas ou impondo autoridade despótica que se educam crianças e jovens. Educar é usar a palavra sóbria e persuasiva, é fazer com que vejam a tempo e a hora o que está errado e o que é correto e justo, alertando-os para os perigos que irão correr mais tarde ao atingirem a idade adulta.

Quem bem faz, para si o faz - Por Luiz de Mattos

De que servirá ser o indivíduo arquimilionário, possuir riquezas materiais abundantes, coisa que quase todos procuram se não tiver o conhecimento verdadeiro da vida, para saber dar às riquezas a útil aplicação que o dever exige?

O resultado é que não estando preparado espiritualmente, não levando ele em conta que o que pertence a Terra na Terra fica, essas riquezas podem mais servir de estorvo à sua evolução do que de ajuda.

Os que não perdem de vista a sequência das encarnações sucessivas, facilmente compreendem que o milionário de uma encarnação poderá ser o esfalfado e desprovido da seguinte.

2018 - ANO DE AUGUSTO MESSIAS DE BURGOS

Propriamente neste 12 de julho de 2018, pela passagem de seu singular sesquicentenário, dedicamos ao espírito do Senhor Augusto Messias de Burgos, o nosso mais singelo respeito e homenagem por seu contributo a humanidade através de nossas irradiações de bem querer!

Grande Foco! Vida do Universo!
Aqui estamos a irradiar pensamentos às Forças Superiores para que a luz se faça em nosso espírito, e tenhamos consciência de nossos erros, a fim de evitá-los e nos fortalecer para praticar o bem.

“AD PERPETUAM REI MEMORIAN”
Visite Memorial Augusto Messias de Burgos
NOSSA HOMENAGEM DE GRATIDÃO
AO CABO-VERDIANO
AUGUSTO MESSIAS DE BURGOS
POR OCASIÃO DE SEUS 150 ANOS
NOSSA LEMBRANÇA
POR SUA PROFÍCUA PASSAGEM
PELAS NOSSAS ILHAS EM 1911
1868 – 2018

O caminhar de Augusto Messias de Burgos

- I -

No éter, Vieira escreveu a ação,
Augusto iniciou sua nova ação,
Cabo Verde a sua nova nação,
Partiu de Mindelo, para sua ação,
Agora em Santos, foi o elo da união,
Vieira, Thomaz e Mattos, elos da missão,
Podia mais, lhe deram muito mais ação,
Missão de um Messias, excelsa missão.


De Vieira recebeu confiança na missão,
De Mattos a corrente fluídica em ação,
De Thomaz apoio à fome dizer não,
Só um ser fiel autêntico e decente,
Poderia levar a cabo tal presente,
Uma missão de autêntica elevação,
Augusto, sua presença fez a diferença,
Ao levar alimentos aos famintos da nação,
Gerou luzes à nova nação.

Luiz de Mattos esclareceu o filólogo Julio Ribeiro no Centro Espírita de Augusto Messias de Burgos - Por Fernando Faria

Após o receituário e algumas instruções, o presidente Astral pede que se concentrem todos bem e dada uma comunicação em francês legível, livre de erros, causando sério espanto em Luiz de Mattos, é tanto, que este chegou a perguntar, após a sessão, se o médium tinha instrução, ...

Aqui vale observar que no livro "Assim surgiu o Racionalismo Cristão", neste ponto, antes do diálogo "Acalma-te" entre Padre Vieira e Luiz de Mattos, o narrador Antônio Cottas, leva o tema direto para a doutrinação de Ignácio de Loyola, mas no livro inédito de 1992, "A vida e a luta de Luiz de Mattos", o narrador Fernando Faria nos contempla com mais uma narrativa num dia anterior a de Ignácio de Loyola. ...

... Outro fenômeno de muita importância foi a manifestação de Júlio Ribeiro, o grande filólogo brasileiro, homem que considerava Luiz de Mattos o seu maior amigo. Júlio Ribeiro deixou o seu lar para ir desencarnar ao lado de Luiz de Mattos. Era livre-pensador e também não acreditava em coisa alguma, mas nessa sessão, o Padre Antônio Vieira atuou num dos médiuns dizendo:

— Luiz, pensa em alguém que foi teu amigo, pensa.


Luiz de Mattos disse:
— Está bem, já pensei.

De fato havia pensado em Júlio Ribeiro.

Júlio Ribeiro manifestou-se, sofredor, sem conhecer o seu estado, apesar de ter sido um grande espírito.

Júlio Ribeiro incorporado, observava as pessoas quando Luiz de Mattos pergunta-lhe:

Luiz de Mattos é curado de tuberculose por Augusto Messias de Burgos - Por Fernando Faria

É voz corrente em Cabo Verde quando o médium Senhor Augusto Messias de Burgos aportou em Cabo Verde em 1911, curou de tuberculose o jovem Henrique Baptista Morazzo, filho do armador italiano Senhor Geobatta Morazzo que cedeu o barco para distribuição dos alimentos entre ilhas.

Vale também lembrar que segundo as netas Amarylís (86), Amyrthis (85) e Annyce (84), do médium Augusto Messias de Burgos, sua casa quase sempre estava cheia de pessoas enfermas que o procuravam para tratamento de seus males. Entre muitos casos, o de um cidadão que sofria de tuberculose aguda e já desenganado, o médico sentindo-se impotente, indicou o enfermo a Maninho de Burgos, que o curou.

Do mesmo modo é descrito no livro ainda inédito do Senhor Fernando Faria de 1992, A Vida e a Luta de Luiz de Mattos, página 33:

Luiz de Mattos sendo quase tuberculoso, antes de chegar, em 1910, ao Espiritismo Racional e Científico Cristão, dois anos depois, pesava mais de 90 quilos. Levou dois anos de absoluta obediência ao tratamento prescrito pelo médico astral, Dr. Custódio José Duarte, o qual na ocasião disse-lhe:

26 de Janeiro de 1910, o dia em que germinou a verdadeira espiritualidade!

26 de Janeiro, dia da espiritualidade!


De acordo com Ata de Reunião do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos, de 26 de Janeiro de 1910,  rubricada pelo Senhor Luiz Alves Thomaz, e com o Senhor Luiz José de Mattos na presidência da mesma, documento que nos revela que foi um dia singelo, mas decisivo na vida de ambos, que amparados pelos eflúvios do Astral Superior, deram o início da verdadeira doutrina de Jesus. Dessa maneira, o Senhor Luiz José de Mattos, se dispôs a iniciar os estudos que levaram a codificar a Doutrina Racionalista Cristã, e o Senhor Luiz Alves Thomaz, ao ceder sua casa, assumiu suas responsabilidades no suporte material da Doutrina, data na atualidade transformada num novo marco da humanidade, no DIA DA ESPIRITUALIDADE.

Data que nos suscita a rever o passado por um novo olhar nessa bela página da espiritualidade, pois quando se tem uma base solida, se prospera e se consolida o futuro. Dessa forma, se percebe que o pequeno Centro Espírita do Senhor Augusto Messias de Burgos, foi onde o Senhor Luiz José de Mattos ensaiou seus primeiros passos doutrinários e amadureceu os passos seguintes.

Segundo o autor Galdino Rodrigues de Andrade, no Livro Luiz de Mattos, sua vida, sua obra, capítulo Naquele Casebre Humilde, afirma: "O júbilo dos instrumentos daquela casinha espírita era grande, pois aquele instante radioso era o florescer de uma doutrina espiritualista autêntica."

conheça este e outros livros

Na sequência o autor Antônio Cottas, ítem 7 do Livro Páginas Antigas de 1954; diz... No fim da "quarta" sessão que Luiz de Mattos, sem interrupção vinha presidindo, atua um espírito num dos médiuns ao lado dele e insulta-o barbaramente. Desconhecendo esse fenômeno e supondo fosse o médium o insultador, prepara-se para o devido revide, quando rapidamente fica atuado o outro médium, e falando-lhe Padre Antônio Vieira:

"... — Acalma-te! Pois então não vês que o médium é um simples porta-voz dos espíritos?
... — Esse espírito que acabou de manifestar-se é Ignácio de Loyola, teu e meu companheiro em diversas encarnações."